Seja Bem Vindo ao Estudo do Magnetismo

Você que acompanha nosso Blog e gosta das matérias aqui postadas, seja um seguidor cadastro esta ao lado da matéria, no ícone "Participar deste site". Grato! a todos.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

TUMOR CEREBRAL (Vídeo Também)


TUMOR CEREBRAL
_______________________________________________________________________________
Dr. DEZIR VÊNCIO
Médico (Nefrologista), professor aposentado da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás - UFGO. Vice-Presidente da Federação Espírita de Goiás. Participou da vários seminários de Jacob Melo (Passe - Estudo do Magnetismo). Componente do Grupo  de Magnetismo para Tratamento da Depressão na Comunidade Espírita Ramatis e ministra o curso Fisiologia do Passe na mesma instituição.

______________________________________________________________________________
A paciente de que trata este trabalho apresentado pelo Dr. Dezir Vêncio, descobriu que estava com tumor cerebral a partir de uma crise convulsiva em abril de 2010, aos 32 anos de idade.
Feita uma ressonância magnética foi diagnosticado na região têmporo-insular direita um tumor com efeito de massa, que vai comprimindo toda a área cerebral ao redor à medida em que se expande. A notícia desta doença, como acontece em muitos casos semelhantes, fê-la entrar em depressão, com ideias suicidas, inclusive.
No final de junho de 2010, iniciou o tratamento magnético através da técnica TDM-1 (Tratamento da Depressão pelo Magnetismo nível 1) com o auxílio da apometria. Foram feitos quatro atendimentos.
Em 23 de julho, ela submeteu-se à quimioterapia no Hospital da Beneficência Portuguesa, em São Paulo, retornando depois a Goiânia.
 O tratamento magnético continua, então, com a técnica TDM-3, acrescida do tratamento no encéfalo do seguinte modo: infiltração magnética (através do ouvido direito) até o córtex cerebral tratando-o com infusão e dispersão; em seguida eram tratadas as glândulas pineal e hipófise, além de todo o tronco cerebral até à medula; por último, intensa concentração na região de onde foi retirado o tumor. O objetivo era impedir que as células normais não se transformassem em cancerosas e as que ainda apresentassem uma condição anormal fossem eliminadas. Os passes eram semanais e tinham uma duração aproximada de 30 minutos.

A paciente reagiu muito bem ao tratamento, pois pouco tempo depois, apresentava um quadro bem diferente do inicial: fez o seminário de passes na instituição espírita e o curso de noções básicas do Espiritismo, está participando do curso de mediunidade e disse que quer colaborar nos trabalhos da "Casa". Além disto, voltou a sorrir, tornou-se alegre e expansiva, superando a depressão. A ideia do câncer já não a assusta mais como antes. Além disto, aprendeu a conviver com as reações do medicamento quimioterápico, as quais foram bastante amenizadas pelo tratamento magnético, e substituiu o questionamento quanto ao porquê de estar doente pelo "para quê".
Em abril de 2012, através de nova ressonância magnética foi diagnosticada como radiologicamente estável, sem nenhum surgimento de novas células cancerosas, lembrando que, no caso deste tipo de tumor, a malignidade é muito intensa, com alta probabilidade de crescimento, de metástases e de recidiva.
Continua o tratamento magnético da depressão e do encéfalo, mantendo-se energeticamente harmonizada.
Diante da dúvida de alguém quanto à influência do magnetismo na cura da paciente, responde o Dr. Dezir: "se ela não estivesse utilizando o magnetismo será que ela não teria desenvolvido as características funestas deste tumor que são a recidiva constante e a multiplicação de células cancerosas após a sua retirada? O trabalho que está sendo feito é no sentido de ajudar esta paciente para que se sinta melhor, para que o câncer fique quietinho, não tenha recidiva, que ela se cure deste tumor e não entre no grupo de risco de viver só de 05 a 08 anos".
Segundo Dezir, "a assistência magnética foi no sentido de dar suporte à paciente para estar energeticamente equilibrada, para suportar não só à cirurgia, mas também à quimioterapia, que vai se estender por mais um ano".


                                                       Link para assistir a palestra.:



Postar um comentário