Seja Bem Vindo ao Estudo do Magnetismo

Você que acompanha nosso Blog e gosta das matérias aqui postadas, seja um seguidor cadastro esta ao lado da matéria, no ícone "Participar deste site". Grato! a todos.

quinta-feira, 26 de julho de 2012

HIPERTENSÃO “PRESSÃO ALTA” (Vídeo Também)



HIPERTENSÃO “PRESSÃO ALTA”

YONARA ROCHA   lrocha6631@msn.com
       
Nascida em Governador Valadares, MG, Brasil. Empresária, estudante da doutrina espírita desde 1991, se apaixonou pelo Magnetismo em 2001, e desde então vem praticando e pesquisando essa ciência fantástica. Ela é também uma das fundadoras do Broward Spiritist Society.








HIPERTENSÃO
As causas que provocam a pressão alta são muitas e variadas. Na maioria dos casos, a causa é desconhecida ou não está bem definida. Entre as causas conhecidas estão as doenças dos rins, das glândulas (endócrinas), do sistema nervoso, o abuso de certos medicamentos e a gravidez.
Hipertensão é uma doença democrática que acomete crianças, adultos e idosos, homens e mulheres de todas as classes sociais e condições financeiras. Popularmente conhecida como “pressão alta”, está relacionada com a força que o sangue faz contra as paredes das artérias para conseguir circular por todo o corpo. O estreitamento das artérias aumenta a necessidade de o coração bombear com mais força para impulsionar o sangue e recebê-lo de volta. Como consequência, a hipertensão dilata o coração e danifica as artérias.

Há algum tempo, a hipertensão faz parte das pesquisas de Yonara Rocha no campo do Magnetismo. A sua palestra expôs o caso de um paciente com pressão alta e que, aos poucos, levou-a à descoberta de algumas noções relativas ao funcionamento energético e que influi nas questões de circulação sanguínea.
Este paciente, um senhor de 64 anos de idade ao início do tratamento, fazia parte de uma estatística, em que 30% dos americanos, mesmo fazendo exercícios regulares, tendo uma dieta saudável e tomando três ou mais medicamentos, ainda assim mantêm a pressão alta.
Os seus picos de pressão chegavam à máxima de 190, enquanto a mínima ficava entre 110 e 130. No início do tratamento ele afirmava não confiar na cura, embora achasse que podia melhorar sua saúde: “estou cada vez mais confiante, embora saiba que não existe cura para a pressão alta. A confiança é que abaixe mais um pouco e não tenha que duplicar o medicamento”.
A evolução do tratamento, iniciado em maio de 2010 com dois passes semanais, podemos acompanhar no quadro abaixo:
Yonara relatou sucintamente outro caso de pressão alta em que o paciente, após este tratamento, já não toma mais medicamentos.
1.º passe:
Apenas dispersivos
- Nada mudou em 03 dias.
2.º passe:
Dispersivos gerais.
Dispersivos no centro de força esplênico.
Imposição ativante no esplênico.
-A pressão continua alta chegando a 19.1.
3.º passe:
Dispersivos gerais.
Dispersivos no centro de força cardíaco.
Pequena imposição calmante no cardíaco.
-A pressão abaixou um pouco ficando entre 159/160 por 89.
5.º passe:
Foi aplicado o TDM-3, devido a uma carência detectada no centro de força esplênico.
-A pressão voltou a subir ficando entre 160/170/180 por 80/90.
Passe de 28 de junho de 2010:
Dispersivos longitudinais.
Transversais no cardíaco.
Bastante dispersão transversal no básico.
-A pressão baixou de mais ou menos 180 para 160 chegando a 158 duas vezes. A mínima baixou para 92/95.
No passe seguinte, continuando com dispersões no centro de força básico:
-A pressão baixou sensivelmente para, no geral, 145/150 por 78/82. Teve um momento em que chegou a 135 por 75.
Além das dispersões no básico, foi incluída pequena imposição no esplênico:
-No geral abaixou para 150/155 por 85/86.
Alguns passes aplicando TDM-1 e dispersivos no básico.
-A pressão tem se mantido entre 135/138 por 75/80.
-Após tomar o remédio a pressão caiu para 120 por 75.
“Nunca, em cinco anos, abaixou assim mesmo após o remédio”, disse o paciente em seu depoimento. “A semana não foi muito propícia à calma”.
-A pressão ontem estava em 124/75.
Alguns passes aplicando TDM-2 e dispersivos no básico
-A pressão um dia chegou a 115/71. Antes de ontem chegou a 101/64.
-Com a diminuição da dosagem(do medicamento)não houve um aumento significativo da pressão. Ficou em 125/75.
-À noite, antes do remédio a pressão atingiu 126/75.
Alguns passes aplicando TDM-3 e dispersivos no básico(mais ou menos 3 minutos de dispersões ativantes e calmantes)
-Está tomando 9 mg apenas, de medicamento para pressão arterial (dosagem mínima para manutenção). Na última consulta médica foi autorizado a suspender o medicamento.
HIPÓTESE EXPLICATIVA:
Analisando as técnicas aplicadas e os respectivos resultados, chegou-se à conclusão de que o centro de força básico é o responsável pela pressão arterial. Entretanto, por que uma pequena imposição no esplênico alteraria o básico, como questionou inicialmente a expositora? Não parecia ser o caso de uma congestão fluídica provocando outra, já que uma imposição no laríngeo ou no cardíaco não resultava no mesmo efeito sobre o básico.
Mesmo o esplênico estando descongestionado, influenciava a pressão arterial. Era como se o esplênico nutrisse fluidicamente o centro de força básico.
Segundo a hipótese de Yonara, o esplênico tem, dentre as demais funções, a de nutrir os centros de força inferiores. Seria interessante, segundo ela, testarmos o seguinte: quando algum centro inferior estiver desarmonizado - citou o exemplo do gástrico em um paciente com úlcera, - tratarmos o esplênico, além daquele centro.
Sabe-se que os rins têm um grande papel na pressão arterial. A explicação, então, seria que recompondo o básico e o esplênico, a disfunção dos rins seria corrigida fazendo com a pressão arterial regularizasse.
Indo mais a fundo na sua pesquisa, Yonara descobriu na Cura Prânica - técnica de cura magnética que se baseia nas filosofias orientais - a afirmação da existência de um chakra um pouco acima do básico, denominado Meng Mein, e seria ele o responsável pela pressão arterial. Este chakra está ligado aos rins e é responsável, ainda, pelo refluxo energético.
Quem sabe, refletiu a palestrante, ao tratarmos o paciente sentado na cadeira, devido à posição, se não estaríamos ativando este chakra, além do básico?
“Havendo a certeza com relação a estas informações, eu trataria, nos problemas de pressão alta, os centros de força esplênico, Meng Mein e básico”, disse Yonora.
Fica aí a hipótese de Yonara Rocha para aqueles que quiserem se aprofundar no assunto, pesquisar mais buscando maiores informações a fim de aprimorarem
este conhecimento.

                                           Link para assistir a palestra.:

http://browardss.no-ip.org/index.php/component/contushdvideoshare/player/73/18
Postar um comentário