Seja Bem Vindo ao Estudo do Magnetismo

Você que acompanha nosso Blog e gosta das matérias aqui postadas, seja um seguidor cadastro esta ao lado da matéria, no ícone "Participar deste site". Grato! a todos.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Técnicas e Tratamentos :

- Li seu livro “Cure-se e Cure pelos Passes” – excelente por sinal.
No capítulo 20, p 202 (11ª edição), você afirma que indivíduos que fazem uso de remédios controlados e os que atuam sobre o sistema nervoso central não deveriam dar passes.
Recentemente sofri minha primeira crise de epilepsia e talvez tenha que tomar remédio pelo resto de minha vida.
Minha dúvida é simples, você acha que sou um caso de restrição para ministrar passes?

Jacob Melo: Vou explicar o assunto em dois pontos e deixar uma sugestão.
1- A verdade é a seguinte: muitos componentes químicos dos medicamentos podem ser transitados (do magnetizador para o paciente) através do magnetismo. Se esses componentes implicarem incompatibilidade nos pacientes isso poderá gerar reações indevidas ou inadequadas neles. Infelizmente não sabemos exatamente que componentes são transitados, em que potenciais isso ocorre e em que situações isso é mais ou menos verificável. Sendo assim, por medida de prudência, recomenda-se a abstenção de se aplicar magnetismo quando se está ingerindo determinados remédios. Por outro lado, para se fazer uma pesquisa real acerca dessa possibilidade não haverá outro caminho que seja diferente do se permitir pessoas diversas, ingerindo os mesmos medicamentos, fazerem passes em pacientes mais sensíveis – já que estes dariam uma resposta mais clara dos efeitos. Lógico que, nesse caso, o acompanhamento criterioso e bastante objetivo deverá ser uma constante, pois se trata, literalmente, de uma abordagem técnico-científica.
2- A pessoa (magnetizadora) que se encontre em alguns estados alterados -- orgânicos, psíquicos ou emocionais -- está, só por isso, desaconselhada de aplicar passes, pois há uma regra geral que diz que "só deve passar harmonia quem está harmonizado".
Isto posto, creio que em teu caso seria possível sim aplicares passes, mas deverás ter toda atenção na observação junto aos pacientes a fim de detectar qualquer anormalidade em suas reações. Provavelmente não acontecerá nada de mal, todavia, manda o bom-senso que cuidemos para não sermos traídos pelo descaso.
Sugestão- Pessoas que sofrem de epilepsia, quando em tratamento por passes magnéticos, deve receber bastante perpendiculares, tanto próximo como distanciando aos poucos, lembrando que os perpendiculares, para serem bem eficientes, precisam igualmente envolver o centro coronário (no alto da cabeça) como o esplênico (que repousa sobre o baço, em um ângulo aproximado de 45º em relação aos frontais. Esses perpendiculares devem ser feitos em velocidade rápida, pois são dispersivos. 
Postar um comentário