Seja Bem Vindo ao Estudo do Magnetismo

Você que acompanha nosso Blog e gosta das matérias aqui postadas, seja um seguidor cadastro esta ao lado da matéria, no ícone "Participar deste site". Grato! a todos.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Sistema nervoso

Sistema nervoso

É o mais complexo no que se refere às funções e às  atividades. Coordena todas as atividades orgânicas, conduzindo sensações e idéias para o espírito e do espírito, serve como elemento adaptador do organismo às condições do momento.
Glândulas endócrinas
Glândulas são órgãos que apresentam como características a produção de secreções fluidas chamadas de hormônios.
As glândulas que lançam o seu produto diretamente na corrente sanguínea são chamadas de glândulas endócrinas.
Quando lançam seu produto através de camadas excretoras na superfície do corpo ou no interior dos órgãos, são chamadas de glândulas exócrinas (suor, lágrimas, salivas, suco gástrico etc).
São classificadas como glândulas endócrinas: A Hipófise, Epífise, Tireóide, Paratireóides e Adrenais (Supra-renais).
As glândulas endócrinas com seus hormônios inundam praticamente todo o organismo e, através de mecanismos extremamente complexos, comandam o funcionamento dos órgãos.
Esse comando endócrino, se entrosa, se entrelaça com a atuação do sistema nervoso.

A Glândula Pineal

Nos diz André Luiz: “Enquanto o nosso companheiro se aproveitava da organização mediúnica, vali-me das forças magnéticas que o instrutor me fornecera, para fixar a máxima atenção no médium. Quanto mais lhe notava as singularidades do cérebro, mais admirava a luz crescente que a epífise deixava perceber. A glândula minúscula transformara-se em núcleo radiante e, em derredor, seus raios formavam um lótus de pétalas sublimes”.
A Epífise ou Glândula Pineal é pouco conhecida pela ciência acadêmica, embora já tenha sido descrita desde a antigüidade grega.
Segundo o conhecimento científico, não passaria de glândula inibidora do sexo, principalmente no período infantil.
A revelação espiritual informa ser a Epífise a glândula da vida mental e elo com a espiritualidade. Ela acorda as forças criadoras no organismo do homem, na puberdade, aos quatorze anos, aproximadamente e, em seguida continua a funcionar, como o mais avançado laboratório de elementos psíquicos da criatura terrestre.
A glândula pineal reajusta-se ao concerto orgânico e reabre seus mundos maravilhosos de sensações e impressões na esfera emocional.
Ela preside aos fenômenos nervosos da emotividade, como órgão de elevada expressão no corpo etéreo.
A glândula pineal segrega “hormônios psíquicos” ou “unidades forças” que vão atuar, de maneira positiva, nas energias geradoras.
A glândula pineal conserva ascendência em todo o sistema endocrínico.
Ligada à mente, através de princípios eletromagnéticos do campo vital, que a ciência comum ainda não pôde identificar, comanda as forças subconscientes sob a determinação direta da vontade.
As redes nervosas constituem-lhe os fios telegráficos para ordens imediatas a todos os departamentos celulares, e, sob sua direção, efetuam-se os suprimentos de energias psíquicas a todos os armazéns autônomos dos órgãos.
A epífise desempenha papel mais importante em qualquer modalidade de exercício mediúnico. Através de suas forças equilibradas, a mente humana intensifica o poder de emissão e recepção de raios peculiares à esfera espiritual.

André Luiz,  Missionários da Luz, cap. II; Entre a Terra e o Céu, cap. XX.
Postar um comentário